Opost street fighter4

Olá Pessoal!
Eu sou o Kevin e esse é meu primeiro Opost. Aqui vou falar sobre alguns games whatever, mas lembrando que vai ser a minha opinião, ok?
Bem, não tenho nenhum console dessa geração, mas como não sou bobo, tiro proveito dos meus amigos e parentes que possuem consoles do tipo: Ps3, X-box 360 e Nintendo DS (e está chegando um Wii por ai).
O console que mais jogo atualmente é o 360, porém, para não ficar limitado somente ao próprio, falarei de jogos “multiplataforma”.

Pra começar (e gerar uma discussãozinha) vou falar de um clássico que teve um mega hype, sim ele o grande STREET FIGHTER IV.

Street Fighter IV

Com seus 25 personagens, cenários novos e antigos (refeitos) em uma visão 2.5D, o jogo se apresenta super bem. Para mim, a grande mancada foi o hype…
Embora o jogo não tenha muita crítica negativa para ser feita, não queria tocar na ferida (medo de ser massacrado por Fanboys), mas já que estou aqui, né?
Achei a jogabilidade meio pesada e, no XBox, você é obrigado a jogar no direcional analógico, já que a cruzinha é uma verdadeira desgraça. Pensei que os personagens seriam bem mais soltos, mais leves. Eles, no entanto, foram redesenhados com músculos exagerados, meio desproporcionais, e onde foram parar os gráficos meio Okami? Borrões de tinta? Apenas uns pingos quando o personagem sofre um dano maior como num especial, nada mais que isso. Entre esses poucos erros, achei uma coisa muito WTF: o Guile com aquela boquinha para frente está extremamente parecido com o famoso Rodela. (risos).

Parando um pouco agora com a seção nonsense, chegou a vez de falar de alguns pontos positivos do game (se falar todos, não acabo hoje): a inovação gráfica foi surpreendente, os estágios ficaram bem trabalhados, personagens novos e a jogabilidade (apesar de pesada) continua sendo boa. Totalmente recomendado para os fãs do gênero e para os curiosos de plantão.
assistam um pouco do Gameplay para matar a vontade

Por enquanto é só isso, valeu pela atenção e até logo mais.

About Kevin Rodrigues

Militar por "obrigação", programador Java por amor, fissurado em tecnologia da informação e tem como unico vício o rock