Nihon no Sekai – Teatro NO

Aew galera, voltando mais uma Nihon no Sekai, com mais informação pra você. Agora trazendo um tema onde acho que a maioria de vocês não devem conhecer, o Teatro Nô.

Mas o que é ? Também chamado de Noh, é um gênero de teatro dramático que combina dança, musica e poesia,  onde as histórias representam as mitologias e simbolismos. Na era Edo foi considerado a arte dramática mais importante do Japão, sendo considerado a cerimônia artística oficial do estado pelo Xogunato Tokugawa. Essa nobre arte teatral foi enraizada no Nuo (uma arte teatral chinesa) e foi estruturado pelo Kanami e seu filho Zeami no século XIV, onde eles escreveram mais de um terço das peças existentes. Existem aproximadamente 250 peças que sobreviveram no tempo,  pois  todas foram transcritas pelo Zeami Motokiy, um famoso dramaturgo japonês da época.

No Noh há uma mistura de movimentação ensaiada onde os participantes da peça ficam de uma forma poética, desde o jeito de olhar pra lua até como tira a neve da roupa com outros elementos como mascaras, maquiagens, músicos e um coral recitando poesias. Os cenários sempre são simples, normalmente pintados num plano de fundo onde na pintura existe sempre um pinheiro, não importa se o cenário for o interior de um palácio devido ao pinheiro.  No xintoísmo, o pinheiro é o meio dos deuses descerem a terra.

As peças no Noh sempre seguem uma estrutura de personagens onde o protagonista (Shite) é sempre um espírito ou criatura que vem com um amigo ou companheira (Tsure), e tem um personagem secundário (Waki) que normalmente é um monge que nunca interfere na ação da peça, mas auxilia o Shite para completar sua missão ou simplesmente dando orientação espiritual a ele. O ator Shite sempre usa uma mascara e dependendo do tipo de personagem é um tipo de mascara diferente. Em muitas peças o Shite é um demônio onde pode usar uma marcara com um rosto humano deformado por alguma emoção, quando Tsure é um personagem feminino o ator também usa mascara, caso contrario usa somente maquiagem. A peça mais famosa do Noh  é o Hagoromo que chegou a ser traduzida para o português  com o nome de Hagoromo – O Manto de Plumas.

Como as peças de Noh são sempre bem dramáticas, nos intervalos existem mini-peças de comedias chamadas de Kyogen, usadas para diminuir a tensão da platéia e preparando para a retomada da história. O Kyogen normalmente tem 2 ou mais atores  e não contam com nenhum outro recurso de cenário ou musica.

Uma curiosidade é que como o Noh depende muito da interação entre os personagens, porem os atores ensaiam sempre sozinhos orientados por um diretor ou por um ator mais velho, tanto as falas quanto as coreografias das danças.

No Brasil o Noh tem uma história interessante. Em 1939 um professor universitário chamado Nobuyuki Suzuki veio a pedido do Ministério da Educação e do Ministério das Relações Exteriores para palestrar sobre a cultura do japão nas colônias japonesas em são Paulo. Enquanto esteve aqui promoveu encontros para  apresentações de teatro Noh, alem de fundar uma associação de Noh aqui no Brasil, a Hakuyokai. Quando teve que voltar ao Japão no final da Segunda Guerra Mundial, vários “alunos” seguiram  com a Associação, entre eles o seu filho Takeshi, e com isso continuaram fazer apresentações regulares até a morte do Takeshi quando a associação se dispersou.  Hoje há alguns grupos pequenos fazendo  apresentações esporádicas. Em  agosto houve uma apresentação da peça Hagoromo – O Manto de Plumas no Sesc Pinheiros em São Paulo.

É isso galera, espero que tenham curtido um pouquinho mais da cultura Japonesa, e See You Next Time.

Fontes :

http://sadame.wordpress.com/2008/07/01/teatro-no/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Noh

http://www.fjsp.org.br/guia/cap03_e6.htm

http://www.ronin47.xpg.com.br/teatrono.htm

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=136436

  • Só falta termos algumas peças para apreciar a bela cultura japonesa!
    Banzaaaaaaaaaaaaaai!
    =)
    Marcus

    • Claudio, O Dragão Dourado

      é na verdade teve a pouco tempo uma no sesc pinheiros, só que não sei se vai ter mais não achei nenhuma agenda

  • Midori

    Claudinho e suas matérias orientais. rs Muito bem escrito e uma novidade pra mim que, apesar de ser japa, não conhecia esse tipo de teatro. Parabéns! ^^