Musicalmente Falando – Songs for the Deaf

Olá pessoas. A seção “Musicalmente Falando” foi reinaugurada pelo novo gerador de conteúdo do Omega Station, o Nerdherd. E como citado na leitura de emails do cast sobre a E3, eu voltaria a escrever por aqui. E promessa é divida, logo trago um texto analisando o fantástico álbum “Songs for the Deaf” da banda Queens of the Stone Age.

No texto, farei um esquema similar ao que faço no site Violão de 8 Bits, que é citar primeiro a playlist do álbum analisado, e fazer citações das musicas que mais se destacam, na minha opinião. E então, vamos à playlist:

1. “You Think I Ain’t Worth A Dollar, But I Feel Like A Millionaire” – 3:12

2. “No One Knows” – 4:38

3. “First It Giveth” – 3:18

4. “A Song For The Dead” – 5:52

5. “The Sky Is Fallin‘” – 6:15

6. “Six Shooter” – 1:19

7. “Hangin’ Tree” – 3:06

8. “Go With the Flow” – 3:07

9. “Gonna Leave You” – 2:50

10. “Do It Again” – 4:04

11. “God Is In The Radio” – 6:04

12. “Another Love Song” – 3:15

13. “A Song For The Deaf” – 6:42

14. “Mosquito Song” – 5:37

15. “Everybody’s Gonna Be Happy” – 2:40

 

Uma informação importante é a participação do Dave Grohl, vocalista do Foo Fighters e baterista “porra-louca” por tabela. O vocalista e guitarrista do QotSA (abreviação do nome da banda) Josh Homme, amigo de Dave desde 1992 quando Josh ainda era do Kyuss (outra banda que deve figurar por aqui em breve), fez o convite para tocar bateria no álbum, e Dave aceitou, argumentando que não tocava bateria há tempos. É notável a influência que isso causou, principalmente em musicas como “First it Giveth”, que tem um ritmo frenético aliado a um vocal todo “elegante” do Joshua. Porem essa bateria nervosa para mim é melhor representada na “A Song for the Dead”, onde um pequeno solo de bateria, aliada a uma guitarra repetitiva mas nada enjoativa introduz a musica, trazendo em seguida o incrível vocal rouco de Mark Lanegan, outro artista convidado para o álbum. E ela se encerra de maneira similar de como começou, fechando com o senhor Dave “esmurrando” a bateria.

Para ilustrar melhor, vejam a apresentação da banda no “Queens of the Stone Age live at Glastonbury 2002”.

Porem a variedade de musicas e estilos que foi o chamariz para que eu gostasse desse álbum em especial, creio que pelo álbum ser feito com base no conceito de rádio. Inclusive trechos fictícios de programas de rádios são ouvidos durante todo o álbum, sendo melhor exemplificado na musica “You Think I Ain’t Worth A Dollar, But I Feel Like A Millionaire“, cantada pelo baixista Nick Oliveri (sim, foi ele que tocou pelado no Rock in Rio de 2001) e também na “No One Knows”, onde ao fim da musicas é citada a próxima musica, bem ao estilo rádio FM. Vale também ver o clipe dessa musica, tanto pela excelência da mesma quanto para ver um cervo seqüestrando os membros da banda =D.

Vale fazer citação à musica “Mosquito Song” que em algumas versões diferentes do álbum foi cortada ou é citada como “faixa bônus”. A música em si é bem diferente, trazendo instrumentos um tanto incomuns para o rock, como a flauta, o violão e o piano. Porem aliado ao vocal formidável do Josh Homme, a musica é bela, harmoniosa e ótima para momentos de reflexão, eu pelo menos a usei para isso algumas vezes. Foi uma boa surpresa, de fato.

Esse não é o primeiro CD cronológico do QotSA, mas no meu caso foi começar com o pé direito. Álbum excelente, ouço repetidas vezes e em inúmeros momentos.

Recomendo.

Fonte de umas bagaças: Wikipédia.

  • Esse cd é foda demais mesmo, pra mim até hoje o melhor da banda.

    Conheci o QOTSA pelo Kyuss (banda preferida), e uma vez na extinta Showbizz vi que os ex-integrantes Josh Homme e Nick Oliveri iam lançar um disco sob o nome Queens of the Stone Age. Não preciso nem dizer que gritei mais que tiete do Justin Bieber.

    Mas não foi o disco de estreia primeiro cd da banda que escutei, e sim o Rated R (o Songs for the Deaf veio depois) e confesso que achei uma parada estranha e ao mesmo tempo curiosa. Não desgostei, mas esperava mais. Tanto que quando alguém me pergunta de qual cd começar pelo QOTSA, digo pra escutar primeiro a discografia do Kyuss, e em seguida ir ouvir o disco de estreia da banda, que é bem na linha do Kyuss. Songs for the Death resgatou um pouco mais a veia do primeiro album, com alguns elementos viajantes do Rated R (que hoje gosto demais, principalmente pra tomar uma – a música Leg of Lamb é foda demais pra isso). E qdo vi que ia ter Dave Grohl e Mark Lanegan na banda (sim, o Mark fazia parte da banda nessa época, tanto que aparece no encarte e nos vídeos, mesmo não cantando – como é o caso de No One Knows, e excursionava tb, mesmo que só aparecesse pra cantar 2 ou 3 musicas no meio do show), fui seco comprar o bichim… Millionaire já começa escrotamente foda, e meu primeiro blog se chamava Gimme Toro exatamente por causa do refrão da música. Até hoje é minha música preferida do QOTSA.

    Infelizmente, Nick saiu da banda após esse album (Homme disse que ama o cara, mas não podia aguentar seu eterno vício em cocaína e tb por ele viver metendo o cacete na namorada)… mas hoje ele está na nova formação do Kyuss, com Josh Homme e Brant Bjork (integrantes originais). Homme não está, mas deu a bênção total aos seus ex-companheiros, falando que se o Kyuss tiver na mesma cidade que ele um dia, que o chamem pra fazer uma jam.

    Escrevi demais, né? Rsrsrs, é que é só falar de música eu me empolgo… hahahaha

  • aoa, foi boa a materia mas assim. o Dave Grow é conhecido por ser um puta baterista, tem ate um documentario dele atual que mostra que o bicho é bem chato nessa area musical.
    Já o Queens of the Stone Age tem muito respeito por diversos fãs pelo fato de incorporar ao rock alternativo (pela pegada mais voltada ao cenario americano) traços de hard-rock e metal.

  • wesley

    @Tourinho
    Agradecido pelo comentario, foi bem relevante mesmo.

    @Trent
    Concordo, mas acho que essa adição tornou esse CD um dos melhores, senão o melhor deles, adicionado ao talento dos caras tambem. Por isso que o QotSA é foda, pega uma gama de estilos que todos gostam. Valeu pelo comentario, Trent.

  • Conheci QoSA com No One Knows do Guitar Hero e com Little Sister.

    Esse é o 1o álbum deles que comprei e estou ouvindo do início ao fim para me familiarizar com o som da banda.

    Curti muito e recomendo.

    Há braços !

  • “mas hoje ele está na nova formação do Kyuss, com Josh Homme e Brant Bjork (integrantes originais).”

    Cometi uma gafe ali, não é Josh Homme, é John Garcia (um dos vocais mais fodas do universo).